SaeR - Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco

RT SaeR Setembro/Novembro de 2016

Editorial

O que Fica

A crise do padrão de ordem mundial

O projeto da integração europeia nunca se mostrou tão necessário como na presente conjuntura, se a União Europeia for entendida como a resposta à questão estratégica da escala depois do fim dos impérios europeus e no atual regime económico da globalização competitiva. Apesar disso, nunca a integração europeia se mostrou tão ameaçada e vulnerável pelas tendências de fragmentação nacionalista, com diversos Estados membros a recusarem a unidade de orientações programáticas e políticas, ao projetar as suas dificuldades políticas, económicas e sociais internas na rejeição de critérios e de objetivos que antes livremente aceitaram.

Análise de Conjuntura

Disrupção política e pragmatismo: o que esperar a prazo

O quadro das perspetivas para a economia portuguesa revela-se crescentemente complexo. Está fortemente dependente, não só da evolução económica da zona euro e da União, mas também de como for evoluindo a respetiva dinâmica político-institucional (e dos seus reflexos económico-financeiros), decorrente, entre outros, das consequências do referendo constitucional na Itália (já em dezembro), dos processos eleitorais na Holanda, França, na Alemanha, e do processo negocial do Brexit. A agravar esta complexidade estão os efeitos disruptivos de Donald Trump ter vencido as eleições norte-americanas.

Geopolítica e Prospetiva

Leituras das eleições presidenciais nos Estados Unidos da América

No final, nas eleições do passado dia 8 de novembro, ganhou o discurso de Trump, pontuado pela forte crítica ao sistema político, económico e social dos EUA, com forte aceitação do famoso Rust Belt – a cintura que designa a antiga zona industrial da Pensilvânia, Ohio, Virgínia e Michigan. Trump conseguiu penetrar junto do eleitorado habitualmente votante nos democratas. Pior, Clinton não conseguiu levar às urnas muitos daqueles que apoiaram Barack Obama nas suas eleições (teve menos 3 milhões de votos face ao anterior candidato democrata, em 2012, menos 6.5 milhões de votantes quando comparado com 2008), perdeu tradicionais bastiões democratas, não chegou ao eleitorado republicano e foi derrotada, inclusivamente na Florida.

Tema de Fundo

A Legitimidade Democrática da União Europeia: do desenho institucional ao relacionamento com os Europeus

Poderemos afirmar que o problema do Deficit Democrático da União Europeia tem a sua raiz no distanciamento entre as suas instituições e programas com o quotidiano dos seus cidadãos. E sem revertermos esse fosso crescente não será possível garantir a legitimidade democrática da UE.
Note-se, finalmente, que esta questão não é meramente científica mas tem, outrossim, uma importância fundamental para todos nós, como o resultado do Brexit veio demonstrar. Se não formos capazes de tornar a União Europeia interessante para aqueles que a integram, não lhe adivinhamos um futuro radiante e risonho, mas antes um definhar às mãos dos seus próprios cidadãos.
Relatório Trimestral SaeR

Para adquirir o Relatório SaeR, por favor utilize o formulário abaixo:

 (*)
 
 
 
(*)
 
 
(*)
(*)
 (*)

Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório.
Consulte a nossa política de privacidade de dados.

Notícias

Clube SaeR

Aceda aos conteúdos exclusivos e receba regularmente a newsletter SaeR directamente na sua caixa de e-mail.

Contactos

Rua Luciano Cordeiro, 123 4º Esq.
1050-139 Lisboa
Portugal

Tel: +351 213 030 830
Fax: +351 213 030 839
E-mail: saer@saer.pt